segunda-feira, 29 de junho de 2015

Post-onde-decido-reunir-todos-os-rascunhos-em-um-post-só


"A vida é uma escala ao topo-sem-topo e só acaba quando você desistir."

"Não seja uma "pessoa relógio". Não seja redondo. Está certo que a Terra é. Mas até ela altera seu movimento de rotação quando é conveniente."

"Você está mesmo bem?" Essas quatro palavras conseguem arruinar meu humor já arruinado  simplesmente porque se uma pessoa inclui um "mesmo" na frase, quer dizer que ela já fez essa pergunta anteriormente. Ou seja, já está me irritando a um tempo."

'No fundo, qual sorriso que você deu a alguém realmente foi verdadeiro? Pura simpatia ou apenas para não se sentir sem graça em deixar alguém sem graça? No fundo, tudo não passa de rótulos. "As pessoas sorriem para mim, elas riem do que eu falo". No fundo, tudo é só tipos de falsidade. Enganosa, mas quem disse que todas apenas apunhalam pelas costas? Existem aquelas que apunhalam pela frente, mas soam como carinho, que você aceita de bom grado."

"Eu aprendi qual o valor das palavras. Eu aprendi a me por no lugar das pessoas. Eu aprendi que devemos fazer primeiramente pela gente. Eu aprendi a esperar. Eu aprendei a não ser egoísta. Eu aprendi que o mais importante é fazer quem amamos felizes e a ficar feliz ao fazer isso. Eu não saberia que tipo de pessoa eu seria se não tivesse passado por tudo que passei, mas com certeza o tipo de pessoa que não saberia nada disso."

"O problema é que eu me apego. Me apego em sempre pensar que poderia fazer mais. Me apego em querer controlar as situações. Me apego ao pensamento de que eu devo ser a balança da ponderação e união entre todos. Me apego ao cansaço de almejar. Me apego em se importar. Me apego a ignorar. Me apego a deixar de lado, quando na verdade quero ir em frente. Me apego em planejar. Me apego a listas. Me apego a sensação se sempre ter de fazer algo. Me apego a ser "certinha" e na sensação de punimento mental quando não o estou sendo, considere o tempo todo."

"O que crescer significa para você? Para mim não é deixar de fazer o que te faz feliz. Não é ignorar o seu programa favorito. Não é parar de brincar ou sorrir. É deixar de fazer aquilo que te prende. É não querer fazer aquilo que te prende. É para para pensar no sentido de todas as suas ações e na intenção delas. Para quem você está fazendo isso? Se a resposta for diferente de "para mim" ou "para ajudar alguém", há boas chances de que esse será seu próximo ou mais um obstáculo para seguir em frente. E você não segue em frente apenas quando o supera. O simples fato de você saber o que deve fazer para se corrigir e querer de verdade vencer isso é a maior superação. E sei que isso tudo soa como livro de auto ajuda, quem sabe porque estou apenas auto ajudando minha mente de tudo que a enche."